biblioteca, leitura, livros, verão, vida

Leituras de Verão 2017

Há livros que nunca li e que estão fielmente depositados nas estantes cá de casa. Alguns, estão cá há pouco tempo, outros há alguns anos e também há um ou outro que já há mais de uma década ganharam cidadania filomenesca.
Por vezes, sinto-me um pouco culpada por comprar livros novos, quando tenho tantos à minha espera mesmo ao meu lado. Mas acredito que cada livro tem um momento certo para ser lido e os que ainda não foram lidos é porque o seu momento ainda não chegou, a mensagem que traz para mim ainda não foi necessária. Este vício de ter livros não lidos – e continuar a comprar – parecia-me algo muito particular meu, até me deparar com este diálogo no livro À Procura de Alaska, de John Greene:
“Já leste todos os livros que tens no teu quarto?”
Alaska, rindo – “Oh, meu Deus, não. Talvez tenha lido um terço deles. Mas vou lê-los todos. Chamo-lhes a minha Biblioteca de Vida. Todos os verões, desde que era pequenina, tenho ido a vendas em segunda mão e compro todos os livros que pareçam interessantes. Por isso, tenho sempre alguma coisa para ler.”
Olhar para os meus livros e chamar-lhes a minha Biblioteca de Vida enche-me o coração e dá a esses livros toda uma dimensão que nem consigo explicar por palavras. Talvez haja um livro que consiga explicar. 🙂
Como disse no último artigo, já fiz algumas compras de leituras de verão. Acredito que consigo ler mais, por isso estou a aguardar até mais perto do meu aniversário para uma compra last minute. Por agora, a lista é eclética e entusiasmante:
Margaret Atwood, The Handmaid’s Tale
Nicola Yoon, The Sun is Also a Star
Deborah Meyler, The Bookstore
Stephen Chbosky, The Perks of Being a Wallflower
Cheryl Strayed, Wild
Ransom Riggs, Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children
Charles Bukowski, The Continual Condition
Os títulos estão em inglês, não porque tenha a mania das grandezas, mas porque vou lê-los mesmo na sua língua de origem. Falta-me um título (ou mais) de literatura infanto-juvenil, que gosto sempre de incluir nas leituras de verão, mas vou pedir emprestado um livro da coleção “Os Cinco” a um jovem leitor do clube de leitura que dinamizo na Biblioteca. Tenho saudades das aventuras que vivia através dos livros da Enid Blyton quando tinha a idade dele. Agora vivo outras, claro, mas aquelas tinham um sabor muito especial.
Por agora é só. Vou pegar no meu livro de cabeceira e ler mais algumas páginas. Estou a ler Quando o Cuco Chama, de Robert Galbraith (pseudónimo da autora J.K. Rowling, a senhora que inventou o Harry Potter) e posso dizer que é tão absorvente como os da saga Potter. Até já. Boas leituras.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s