Ser uma Durona |a importância de ser honesta

DURONA

Hoje celebra-se o dia da honestidade. A origem da palavra vem do latim honos, que remete para uma ideia de dignidade e de honra. Ser honesto significa não mentir e não enganar. Pede-se que sejamos honestos, que sejamos verdadeiros com os as outras pessoas. Mas se nos preocupamos muito em ser honestos com os outros, muitas vezes defraudamo-nos a nós mesmos e não somos honestos connosco próprios.

Durante este mês, a minha leitura esteve dedicada quase totalmente ao livro de Jen Sincero, Tu És Uma Durona (You’re a Badass, no original). Não posso afirmar que tudo o que li me era desconhecido; a verdade é que, mais do que tudo, foi-me importante recordar uma série de ensinamentos que tenho recebido ao longo dos últimos quinze anos. E confrontar-me com as minhas dúvidas, os meus receios e as minhas desistências ao longo do Caminho.

Badass fala-nos de Deus, do poder da manifestação, da nossa fera interior, do medo e – pasme-se – da nossa ligação (ou falta dela) ao dinheiro. Numa série de capítulos muito bem estruturados, leva-nos numa viagem que implica um trabalho efetivo daquilo em que vivemos – o Grande Tédio – àquilo que somos na realidade – exploradores do Grande Filão.

A grande aprendizagem ao longo deste desafio é o auto-amor, a auto-aceitação. Sincero lembra-nos disto a cada final de sub capítulo com um “ame-se a si própria” que, se a princípio nos “irrita”, ao longo do livro começa a fazer parte da nossa atividade, mesmo que inconsciente.

Para acompanhar a leitura do Badass, Jen Sincero oferece-nos, na sua página, um guia de como ser uma verdadeira durona, mesmo para quem não leu o livro. É um bom ponto de partida, mas confesso que vale MESMO a pena ler o livro.

Eis algumas pérolas que decidi sublinhar (a cor de rosa!) durante a minha leitura.

  1. Tem de deixar de querer mudar a sua vida e decidir mudar a sua vida: fazer coisas que nunca imaginou fazer, acreditar em coisas que não consegue ver, ultrapassar os seus medos, falhar uma e outra vez e habituar-se a fazer coisas que não se sente confortável a fazer.

  2. Se quer viver uma vida que nunca viveu, tem de fazer coisas que nunca fez.

  3. O Universo responde com as mesmas vibrações que emitimos. E não se pode enganar o Universo.

  4. Todos os seres humanos nascem com a capacidade de cometer erros grandiosos.

  5. Não desperdice o seu tempo precioso a preocupar-se com aquilo que os outros pensam de si (o que elas pensam sobre sim tem a ver com elas, não consigo).

  6. Saber claramente qual é o seu objetivo único pode representar a diferença entre viver uma vida feliz, realizada e cheia de abundância, escolha e expansividade ou viver no curral confinado da sua própria indecisão e das mesmas velhas desculpas.

  7. Deixe de lado as desculpas e a vergonha por querer ser grande e fabulosa.

  8. O seu trabalho não é saber o como, é saber o quê e estar aberta a descobrir e receber o como.

  9. Rodeie-se de pessoas que pensam como quer pensar.

  10. Não há nada tão imparável como um comboio de carga cheio de motivação.

Há tantas outras coisas que podemos ser e fazer e aprender com este livro. Mas não vou contar mais nada. Vou trabalhar em ser fabulosa e badass o máximo possível. E em ser honesta comigo: com a pessoa fabulosa que sou, com os meus medos, as minhas dúvidas e as minhas motivações mais profundas. E fico a aguardar que faça o mesmo. Por si.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s