bucket list, férias, leitura, viagens

Veneza | like a virgin touched for the very first time

As primeiras memórias que tenho da cidade de Veneza são as que vi num “teledisco” (era assim que se chamava) de Madonna, em que se pavoneava numa gôndola enquanto cantava “Like a Virgin” e passeava por palácios magníficos. Só depois é que descobri a beleza do Carnaval de Veneza e outros pontos que fazem com que esta cidade esteja na minha wishlist de locais a visitar.
Este ano, embalados pela vontade de namorar e viajar (sempre juntos), escolhemos Veneza como destino de férias (ou será que foi a agência de viagens que escolheu por nós naquele Black Friday em que fizemos as reservas?). Itália fascina-me pela cultura, a arquitetura e a gastronomia, evidentemente. Veneza fascina-me pelos canais, as casas sumptuosas e pelas pontes, cuja beleza vislumbrei em Cambridge há muitos anos atrás.
Há algumas coisas que quero fazer em Veneza: andar de gôndola, passear pelas ruas não turísticas, visitar um palazzo, comer num terraço panorâmico e ser muito, mas mesmo muito feliz. Também quero ler: quero ler muito, histórias italianas, ou passadas em itália, ou, pelo menos, com um nome italiano. E quero comer antipasto, pasta como primo piato e um secondo piatto que seja tão, mas tão delicioso que me deixe completamente extasiada. Ecco!
Mais do que fazer tudo isto, quero ser e estar em Veneza como se fosse a primeira vez que viajasse. Apreciar a beleza de tudo como se nunca tivesse saído da minha cidade. Sentir Veneza como algo ainda mais grandioso do que já é. … (be) touched for the very first time. Porque só assim vale a pena viajar.

bucket list, exercício, gratidão

Reverse Bucket List | contar os desejos já cumpridos

Existe um hábito americano – agora já alastrado pelo planeta inteiro – que consiste em criar uma “bucket list”, isto é, uma lista de coisas que queremos fazer ou experimentar antes de “kick the bucket” (bater as botas). Já escrevi aqui sobre este tema, mas neste momento considero igualmente importante a criação de outra lista,
A “reverse bucket list” não é nada mais nada menos do que uma lista de desejos invertida, ou seja, uma lista de desejos já cumpridos. Ao contrário de fomentar a criação de objetivos e a prossecução de um trabalho efetivo para o cumprimento dos mesmos, esta lista funciona como um bastião de gratidão: focamo-nos nos sonhos que já vimos cumpridos e agradecemos o facto de ter sido possível realizá-los.
A forma de fazê-la é simples, apenas precisamos de:
  • uma folha de papel, um caderno, um diário ou, para os mais digitais, um processador de texto ou mesmo uma app.
  • música ambiente.
  • tempo disponível para estarmos connosco, em meditação com a nossa existência.
  • abertura para a gratidão no coração.
Para o inspirar, pode utilizar este modelo para fazer a sua lista.
Mesmo quem possa pensar que ainda não realizou nenhum dos seus sonhos, acredito que depois de uma profunda reflexão, descobrirá coisas boas pelas quais se sente grato e que merecem estar nesta lista.
Esta lista não é estática; se a deixarmos num local visível, vamos-nos lembrando de outras coisas que podemos acrescentar. Ao fim de algum tempo, será fácil perceber que há tanta coisa que já fizemos, experimentámos, visitámos, pelas quais nos sentimos gratos. Bastou, apenas, começar uma pequena lista.