Uncategorized

Como ser o meu melhor em 2019

2019_blogpost

O início de um novo ano é um momento propício a fazer planos, a desenhar sonhos, a criar possibilidades de futuro. É importante fazê-lo, dar asas a esse processo criativo, mas ainda é mais importante levá-lo a cabo.

A maior parte das pessoas que traça objetivos para um novo ano, desiste antes mesmo de começar. É bom sonhar, mas é necessário saber que as coisas não acontecem só porque as desejamos (ou acontecem, como promete a Ronda Byrne?). É necessário manter o foco e levar a cabo as ações necessárias para que as coisas aconteçam. Eu não vou perder 5kg só porque digo que sim. Não vou ganhar 2 milhões na raspadinha se não comprar uma. Não vou começar uma nova relação (amorosa ou de amizade) se não sair para conhecer pessoas.

Em cada início de ano, devemos almejar a ser o nosso melhor nesse ano. Ser melhores do que fomos no ano anterior. Sem stress. Sem angústias. Com propósito.

  1. arriscar: este ano, arrisco mais, sou mais afoita, saio mais da minha zona de conforto, para poder crescer e ganhar asas.
  2. dizer não: este ano, digo não ao que me fere, ao que não me ajuda a crescer, ao que (e a quem) não contribui para o meu bem estar.
  3. dizer sim: este ano, digo sim a novas experiências, a novas amizades, a novas possibilidades; digo sim a mim e aos que eu amo.
  4. poupar: este ano, poupo mensalmente para poder viajar mais, visitar mais, experimentar mais, viver mais; poupo-me de cansaço, de irritações e de tristezas.
  5. investir: este ano, invisto parte do que poupo para poder gerar um maior bem estar no futuro, para que possa, em qualquer altura, adquirir bens que contribuam para o meu bem estar; invisto, também, em mim, para ser mais feliz.

O meu melhor deste ano inspira-se nos meus melhores momentos de anos anteriores, mas reinventa-se, porque a estagnação pode não matar, mas corrói. O seu melhor deste ano ainda está para vir, por isso, mãos à obra. Vamos construir a melhor versão de nós próprios, rumo a um maior bem estar, a um estado de felicidade maior, mais ligada, mais conectada aos outros e ao nosso verdadeiro propósito neste mundo. Feliz ano novo!

Uncategorized

Fazer refresh | quando é preciso agir em grande

PostBlog_agir

Há uns anos atrás, ao sair do Mestrado Executivo em Psicologia Positiva, do ISCSP-UL, criei um projeto dirigido aos cerca de 400 portadores de nanismo em Portugal. Chamava-se Agir em Grande e pretendia criar uma fonte de informação e de troca de partilhas entre as pessoas que, como eu, vivem com o facto de ser de baixa estatura.

Nessa altura, ao tentar contactar o máximo de pessoas possível com esta característica física, deparei-me com o triste facto que apenas 8 pessoas, das tantas contactadas diretamente, acederam a responder ao inquérito. O projeto, que tinha como objetivo servir esta comunidade, morreu à nascença. Percebi que havia pessoas que não queriam encontrar-se com outras iguais a si. Que não queriam crescer e evoluir. As respostas ao questionário que apliquei eram, na sua maioria, de alguém que não se sentia bem no seu isolamento mas que também não estava a querer sair daquele espaço.

Acredito que todos temos uma missão, um propósito. Cada um de nós carrega, em si, o dom de ser feliz, como diz a canção. Li, em tempos, uma frase, quando buscava incessantemente o meu propósito de vida, que dizia que mais importante do que andar constantemente (e cansativamente) em busca de um propósito de vida, o que é realmente importante é viver uma vida com propósito. Acredito que trago comigo o propósito de incentivar ao bem-estar e à felicidade. Em cada dia, em cada espaço onde entro, com todas as pessoas com quem me relaciono.

O projeto Agir em Grande, da forma como nasceu, transformou-se. Carreguei no botão refresh e tornei a expressão que dava nome ao projeto um lema de vida. Apesar de ser de baixa estatura, só acredito em fazer as coisas em grande. Não ando a brincar de viver. Prefiro viver e brincar.

Hoje, recomeça o meu projeto, o projeto Filomena Mourinho. Quem eu sou. A pessoa, a professora, a formadora, a voluntária, a atriz amadora, a aprendiz de cantora, a autora, a leitora voraz. E recomeça em grande. Porque a vida é uma bênção demasiado valiosa para ser vivida em versão mini.